12 janeiro 2014

Opinião: Fortune's Pawn (Rachel Bach)

Fortune's Pawn by Rachel Bach
Editora: Orbit (2013)
Formato: e-book | 300 páginas
Géneros: Ficção Científica
Descrição (GR): "All her life, powered armor mercenary Deviana Morris has wanted one thing: to join the Devastators, the most elite armor unit on her home planet of Paradox. But it's hard to get noticed on a planet of billions. To speed things up, Devi takes a job aboard the Glorious Fool, an trade ship so dangerous that one year of service on its security team counts as five anywhere else. The ship's terrible record doesn't worry Devi at first, but when the captain starts sending her into impossibly dangerous situations no trader should ever get into, she beings to suspect that the Glorious Fool's problems are more than bad luck. But with her career on the line, Devi's determined to keep her nose down, despite her growing concern about the captain's strange missions, his creepy silent daughter, and the ship's insufferably sexy cook, Rupert Charkov, who is definitely more than what he seems. Maybe even more than human.
With the mysteries piling up and life on the Fool getting more dangerous by the second, Devi's knows she's going to have to get some answers fast, before all the secrets send her home in a body bag."
Parece que ultimamente tenho andado mais virada para a ficção científica e para a fantasia épica do que propriamente para o meu género de eleição (ou pelo menos um deles), a fantasia urbana ou contemporânea. 

Foi em parte por isso que escolhi este livro. Foi também porque li algures (numa crítica) que estava escrito mais ou menos como fantasia urbana, o que faz sentido, agora que o li. Está escrito na primeira pessoa e é mais um livro de aventura e de mistério do que um livro de ficção científica "puro", no sentido em que o "mundo futurista" é onde a ação se passa, mas não está diretamente relacionado com a mesma.

Devi é uma mercenária profissional. Depois de anos com uma prestigiada companhia de mercenários, Devi decide começar a aceitar trabalhos sozinha para alcançar o seu objetivo: ser admitida nos "Devastadores", a guarda de elite do rei de Paradox, o seu planeta natal.

Graças à sua impecável folha de serviço, Devi é recrutada para uma nave de carga, o "Glorious Fool", que tem fama de ter má sorte. Mas Devi, preparada com a sua armadura "inteligente" e muito poder de fogo, não teme embarcar na nave... até lá estar durante alguns dias, claro.

Ora bem... "Fortune's Pawn" é um daqueles livros que nos vão encantando aos poucos, sem darmos por isso. Ao início achei que era incrivelmente genérico... um planeta algures na galáxia, onde a heroína é mercenária e uma heroína que é "maluca por armas" e toda durona. 

Mas continuei a ler e fui recompensada; sem nunca nos dar toda a história de chofre, Rachel Bach começa a desenhar o mundo em que Devi e os outros personagens se movem. Gostei bastante da história da "Old Earth" de onde vêm os Paradoxianos e os Terran. Os Paradoxianos, como a Devi, têm uma cultura mais guerreira e um rei a quem veneram como um deus. Já os Terran, são uma república, reminiscente dos governos atuais, com um desejo expansionista desenfreado.

E para que o ambiente seja ainda mais interessante, os habitantes da Old Earth descobriram a existência de mais quatro raças na galáxia, com quem coexistem de forma bastante tensa. Os extraterrestres não são propriamente muito elaborados, temos uma raça de lagartos, por exemplo, mas as suas civilizações são interessantes.

O que me surpreendeu foi o facto de um livro que é, basicamente e primeiro que tudo um livro de aventuras, ter um world building tão elaborado e imaginativo (para mim, que não leio assim tanta ficção científica como isso). Foi isto que me fez continuar a ler e é isto que me fará voltar aos restantes livros da séria... quero saber mais sobre Old Earth, o rei divino, a guerra entre Terrans e Paradoxianos e tudo o resto.

A Devi também me surpreendeu enquanto personagem. Como já mencionei acima, considerei-a algo estereotipada no início (pensei que ia ser uma daquelas heroínas duronas completamente irrealistas que mais parecem ciborgues do que seres humanos), mas vê-se rapidamente que ela tem vulnerabilidades e que consegue ser... choque!... feminina e uma guerreira espetacular ao mesmo tempo!
Para já não falar da armadura "inteligente" da Devi, toda mecha-style que faz com que ela seja ainda melhor.

Devo dizer que não gostei especialmente do interesse amoroso, o Rupert (really?), mas enfim, o mundo e a Devi compensaram.

No geral, um livro divertido, de leitura quase compulsiva que mistura ficção científica, romance e aventura nas doses certas. Com um mundo intrigante e personagens carismáticas, não posso deixar de recomendar amantes do género e não só! 

Sem comentários :